Londres clássica: um guia de fim de semana


Por Emine Saner

Fotografia de Ultraforma/Getty Images

Avançar para navegação

Junho, 2016

Londres oferece uma história riquíssima, museus de grande qualidade e algumas das paisagens mais conhecidas do mundo que nos são familiares dos filmes e da literatura. É uma cidade enorme, mas quem a visita pela primeira vez não precisa de se aventurar para muito longe do centro, onde é fácil deslocar-se. Com um pouco de planeamento, é possível visitar muitos sítios, tirando o máximo partido das 48 horas que passará na capital.

sexta-feira

À noite - Faça a sua escapadinha

A British Airways opera voos diariamente a partir de todo o mundo para os três principais aeroportos de Londres: Heathrow, Gatwick e London City, o que lhe permitirá encontrar um horário de voo adequado aos seus planos.

Já que passará o tempo na cidade, deverá escolher uma localização central que lhe dê fácil acesso às atrações mais icónicas. O Langham, a norte da Oxford Street, oferece um luxo clássico. Afinal foi o seu restaurante Palm Court que deu início à tradição do formal 'high tea'. Outra opção mais em conta é o Rembrandt, em Kensington, localizado em frente do V&A e a uma curta distância a pé da loja Harrods.

Jogue a jogos de adivinhas com os marcos mais emblemáticos de Londres à medida que atravessa as pontes Golden Jubilee Bridges. Vai poder ver as Houses of Parliament, o London Eye e a Catedral de São Paulo

Depois de fazer o check-in, tire o máximo partido da sua primeira noite, passeando em torno das duas pontes paralelas Golden Jubilee Bridges e jogando jogos de adivinhas com os marcos mais emblemáticos de Londres. Vai poder ver as Houses of Parliament, o London Eye e a Catedral de São Paulo. No lado sul do rio Tamisa, rume em direção ao Royal Festival Hall. Se chegar antes das 19:00, poderá apanhar o final de um concerto gratuito. Suba até ao segundo andar, entrando no glamoroso restaurante de inspiração moderna dos meados do século passado, o Skylon e delicie-se com a vista e um cocktail Skylon, especialidade da casa que mistura uvas, gengibre, vodka Ciroc, licor de maçãs selvagens, lima e sumo de maçã.

Descubra mais hotéis em Londres

  • The National Gallery, Londres

    Seja "arty"

    A National Gallery foi criada em 1824 e é o sétimo museu mais visitado do mundo. A galeria é e sempre foi gratuita e algumas obras de arte em exposição incluem pinturas de Turner, Constable e Cézanne.

    Reserve voos para Londres
  • Guardas da Torre de Londres © Arthur Tilley/Getty Images

    Uma lição de história

    A Torre Branca é a estrutura mais antiga da Torre de Londres, tendo sido construída durante o período normando. A Torre foi, em tempos, uma prisão e, antes de Isabel I ter chegado ao trono, foi aqui aprisionada pela sua meia-irmã, a Rainha D. Maria I. Atualmente, esta torre acolhe as Joias da Coroa que podem ser vistas pelos visitantes.

    Reserve uma escapadinha urbana em Londres
  • 'A Mulher que Chora' de Picasso no Tate Modern

20:00 – Late Tate

Faça o percurso a pé ao longo do South Bank até ao Tate Modern. Este museu fica aberto até tarde às sextas e aos sábados (a última entrada é às 21:15), pelo que é uma boa altura para ver as pérolas do museu, sem ter de se acotovelar com outras pessoas durante a visita. Não perca 'A Mulher que Chora' de Picasso.

21:30 – Jante peixe

Já deve estar com apetite! Nesta noite de sexta-feira, prove o clássico 'fish and chips' (peixe e batatas fritas) e beba uma caneca de London Pride no pub Anchor junto ao rio e a cinco minutos a pé do Tate Modern. Este pub foi sujeito a algumas remodelações (demasiadas, na opinião de alguns clientes mais assíduos) , mas ainda emana história. Diz-se que, em 1666, o cronista Samuel Pepys assistiu ao grande incêndio de Londres do outro lado do rio, neste mesmo lugar. A sua encarnação atual é mais recente: só tem 250 anos.

sábado

08:45 – O poder da torre

Chegue à Torre de Londres mesmo antes de ela abrir, às 09:00, e vá direto às Joias da Coroa, poderá até tê-las só para si por momentos. As grandes multidões chegam mais tarde durante a manhã, o que faz com que a primeira hora seja relativamente calma. Junte-se a uma das visitas guiadas pelos guardas reais (conhecidos como Beefeaters), que começam a cada 30 minutos, e procure os corvos, os guardiões históricos do antigo castelo.

12:30 – Parta pelo rio

Navegue ao longo do rio Tamisa num cruzeiro de 90 minutos de ida e volta, que parte do cais da torre para Westminster, apreciando mais alguns marcos icónicos da cidade enquanto se delicia com um chá da tarde.

14:00 – Vida na alta roda

Passe a Ponte de Londres, não a confunda com a Tower Bridge, e descubra o Borough Market, o paraíso para apreciadores comida com as suas bancas de mercado repletas de produtos artesanais. Depois de estar satisfeito, suba até ao topo do edifício mais alto da Europa ocidental e maravilhe-se com a sua vista sem paralelo de Londres a partir da Plataforma panorâmica do Shard, a uns estonteantes 243 metros acima da cidade.

  • Covent Garden à noite © Shomos Uddin/Getty Images

    Did you know… ?

    Em Covent Garden, existiu sempre algum tipo de mercado desde os anos 1600. Era o mercado de fruta e vegetais central de Londres até a 1974, quando foi transferido para Nine Elms. O edifício atual do mercado foi construído nos anos 1830 pelo arquiteto Charles Fowler.

    Reserve voos para Londres

15:00 – Delícias de jardim

Salte para o autocarro 521 em direção a Aldwyc. Este irá passar pela Catedral de São Paulo. Saia aqui e faça uma caminhada até Covent Garden. Passe algum tempo a admirar as ruas pitorescas e o mercado ornamentado antes de rumar a oeste, descendo a Long Acre até Leicester Square, onde poderá comprar bilhetes baratos de última hora na área de vendas da TKTS no lado sul da praça.

17:00 – O momento da arte

A partir daqui, a caminhada até à National Gallery é curta. Poderia passar semanas aqui, mas esta terá de ser uma visita rápida, por isso, faça-a recorrendo ao audioguia que irá apresentar as 80 obras de arte de maior destaque, incluindo os Girassóis de Van Gogh. Beba uma chávena de chá e coma uma fatia de bolo no bonito café para repor energia antes de tomar o seu lugar num espetáculo do West End.

21:30 – Refeição após o teatro

J Sheekey, um restaurante de peixe e mariscos, escondido numa pequena rua perto de Leicester Square, é a cantina não oficial das estrelas dos palcos de Londres. O período que antecede a hora dos espetáculos é conhecido pelo seu serviço rápido para que chegue a horas ao subir do pano. Contudo, se lá for depois do espetáculo, poderá ver-se a jantar lado a lado com os atores que saem pela porta do palco. É necessário fazer a reserva de antemão. O principal restaurante é gloriosamente intemporal, com painéis de madeira nas paredes e toalhas imaculadamente brancas, mas se se sentar no bar (ou no bar menos formal adjacente, o Oyster Bar) conseguirá observar as pessoas com maior facilidade.

  • Guisado de peixe da Cornualha no J Sheekey
  • The Wolseley

    Grandes designs

    O edifício que agora serve de casa ao The Wolseley abriu incialmente como um stand de automóveis em 1921, antes de ser transformado num banco. O seu interior majestoso é agora o espaço de um dos restaurantes mais aclamados de Londres.

    Reserve uma escapadinha urbana em Londres
  • Chá da tarde no The Savoy Hotel

    O chá da tarde tipicamente britânico remonta a 1840 e foi inventado para contornar a fome entre o almoço e o jantar. Apesar de existirem várias variantes, o chá da tarde normalmente é composto por pequenas sanduíches, scones com doce e natas e ainda bolos.

    Descubra o que fazer em Londres

domingo

08:00 – Pequeno-almoço de reis

Uma das melhores alturas para ver Londres é na manhã de domingo, bem cedo, com as ruas sem tráfego e a cidade limpa e fresca. Vale a pena sacrificar uns minutos de repouso e levantar-se mais cedo da cama. Vá até ao The Wolseley e coma ovos Benedict ou uma cesta de produtos de pastelaria acabados de fazer no reluzente grande café ao estilo vienense. Seguramente o pequeno-almoço mais glamoroso da cidade.

09:15 – Visite a rainha

Reserve a primeira visita do dia para ver as Salas de estado do Palácio de Buckingham. A residência da rainha em Londres fica a poucos minutos do The Wolseley se atravessar o Green Park. Se chegar cedo, dê uma volta pelas ruas que rodeiam o bonito St James’s Park. Certifique-se de que repara na bandeira que está hasteada. Se for o Estandarte Real, a rainha está no palácio. Gira bem o tempo. Deverá estar a sair do palácio com antecedência suficiente para ver a cerimónia do render da guarda que normalmente ocorre às 11:30, todos os dias, durante o verão, e de dois em dois dias, no resto do ano.

13:00 – Almoce no Dinner

Pode demorar semanas até conseguir uma reserva à noite no restaurante premiado com uma estrela Michelin de Heston Blumenthal, o Dinner, no hotel Mandarin Oriental, em Knightsbridge, mas é muito mais fácil conseguir uma mesa à hora de almoço. O menu de Blumenthal é histórico e britânico, com pratos inspirados por receitas com centenas de anos. É possível que se torne no almoço mais dispendioso que comeu, já que as entradas custam £17 e os pratos principais cerca de £38, mas também no mais fantástico.

O café do Victoria & Albert Museum é uma escolha muito mais económica. Diz-se que este é o café de museu mais antigo do mundo. Serve refeições ligeiras e refeições mais substanciais em três bonitas salas ou no lindíssimo jardim do pátio, no verão.

15:00 – Vozes angelicais

A maioria dos turistas faz a visita completa da Abadia de Westminster, mas uma forma diferente de vivenciar uma das mais importantes e históricas igrejas do mundo (onde as coroações ocorrem desde 1066 e onde estão sepultados vários e reis e rainhas, bem como figuras notáveis como Charles Darwin e Charles Dickens) é assistir ao serviço Evensong. Não verá a maior parte do edifício (irá rapidamente entrar e sair mais tarde), mas ouvir um dos melhores coros do mundo cantar música coral de grande qualidade neste espaço é algo que irá recordar para sempre.

16:00 – Pontualidade britânica

Deverá sair a tempo de ouvir o Big Ben assinalar as quatro horas. Reserve tempo para passear pela Parliament Square e passar pelas estátuas de Nelson Mandela, Winston Churchill e Abraham Lincoln. Desfrute das vistas de Houses of Parliament e do Big Ben (cujo nome correto é Elizabeth Tower, Big Ben é o nome por que é conhecido o sino).

17:30 – Doce, natas… ou ambos?

Depois de um fim de semana preenchido, saberá muito bem repousar Termine o seu fim de semana com um chá da tarde antes do voo. O Savoy é conhecido pelas suas sandes impecáveis, pelos scones clássicos com doce e natas e pela sua pastelaria fina, em muitos casos a melhor da cidade. Tudo servido sob a bonita abóbada de vidro do Thames Foyer. É necessário fazer uma reserva e não deverá usar ténis, nem roupa desportiva. Contudo, vale a pena. Será um final clássico para um fim de semana clássico em Londres.